ESTREIA 2017!

Belo Horizonte, MG:
23 de setembro, sábado - ESTREIA : ESPELHO DA LUA no Teatro Bradesco, às 20:00hs - ingressos 24,00 reais inteira e 12,00 meia, já à venda na bilheteria e no site do Teatro Bradesco.
Pedimos seu apoio na nossa divulgação confirmando sua presença no nosso evento do Facebook, compartilhando e convidando seus amigos!

sábado, 29 de dezembro de 2012

Feliz Ano Novo!


E este ano foi para nós um ano de muito crescimento e amadurecimento. Conhecemos o Brasil de norte a sul... fizemos grandes amigos e parceiros... dançamos muito e muito e muito... firmamos ainda mais nossa filosofia de trabalho e de vida e de arte... descobrimos mentiras e verdades... estamos ainda mais fortes e unidos. E somos completamente apaixonados pelo que fazemos: ARTE.

Feliz 2013 a todos.

Cia Mário Nascimento


sábado, 29 de setembro de 2012

ESTATÍSTICAS 2012

* ESCAPADA :
- 29 apresentações ( Palco Giratório, Diversidade em Dança)
- 25 cidades : Fortaleza, João Pessoa, Mossoró, Caicó, Natal, Caruaru, Garanhuns, Juazeiro, Aracaju, Recife, Vitória, Rio de Janeiro, Campo Grande, Dourados, Cuiabá, Porto Alegre, Viçosa, Belo Horizonte, São Paulo, Curitiba, maceió, Boa Vista, Porto Velho, Florianópolis, Salvador
- 18 estados : CE, PA, RN, PE, BA, SE, ES, RJ, MS, MT, RS, MG, SP, PR, AL, RR, RO, SC

* FALADORES :
- 22 apresentações ( Petrobras, Palco Giratório SESC)
- 16 cidades : Sete Lagoas, Mariana, Rio de Janeiro, Fortaleza, João Pessoa, Caruaru, Triunfo, Juazeiro, Recife, Porto Alegre, Brasília, Campo Grande, Boa Vista, Cuiabá, Ouro Preto, Salvador, Paraty
- 11 estados : MG, RJ, CE, PA, PE, RS, DF, MS, RR, MT, BA

* PARADA 7 :
- 7 apresentações ( Horizontes Urbanos patrocínio VIVO en Cena )
- 3 cidades : Belo Horizonte, Manaus, Boa Vista
- 3 estados : MG, MS, BA

* TERRITÓRIO NU :
- 4 apresentações ( Verão Arte Contemporânea, Palco Giratório SESC)
- 2 cidades : Belo Horizonte, Salvador
- 2 estados : MG, BA

* MULHER SELVAGEM :
- 3 apresentações ( Diversidade em dança, FIT Dourados e Palco Giratório SESC)
- 3 cidades : Viçosa, Dourados, Salvador
- 3 estados : MG, MS, BA

* OFICINA DE ARTE-INTEGRADA ( com Rosa Antuña) :
- 10 oficinas (Palco Giratório SESC, Petrobras e FIT Dourados)
- 10 cidades : Rio de Janeiro, Aracaju, São Luis do Maranhão, Curitiba, Maceió, Campo Grande, Dourados, Cuiabá, Florianópolis, Salvador
- 9 estados : MG, RJ, CE, PA, PE, RS, DF, MS, PP, MT, BA

* EM 2012 FIZEMOS :
- 65 apresentações
- 31 cidades
- 20 estados brasileiros - Ceará, Paraíba, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Bahia, Sergipe, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Alagoas, Roraima, Rondônia, Santa Catarina, Distrito Federal e Amazonas


* ESTE ANO NOS APRESENTAMOS PELOS SEGUINTES PATROCINADORES, PRÊMIOS E FESTIVAIS:

- PETROBRAS
- PALCO GIRATÓRIO SESC
- HORIZONTES URBANOS - VIVO EN CENA
- VERÃO ARTE CONTEMPORÂNEA (Belo Horizonte, MG)
- FIT DOURADOS festival internacional de teatro
- DIVERSIDADE EM DANÇA (Viçosa, MG)

Léo Garcia e Eliatrice Gichewsky - fotógrafo Cláudio Etges

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Crítica ESCAPADA - Porto Velho, por Analton Alves

DIÁRIO DA AMAZÔNIA – Porto Velho, RO – segunda-feira, 17 de setembro de 2012


“Espetáculo de dança sensibiliza público no Teatro Um do Sesc e promove sensação psicodélica”- por Analton Alves

A impossibilidade de uma avaliação estética referenciável não moveu a apresentação de “Escapada”para nenhum outro lugar , se não, para dentro do âmbito dos grandes espetáculos. É certo que Porto Velho tem carências indeléveis para o aconchego das conveniências culturais, Mas o Teatro Um do SESC tem sido a ponta inicial de todas as nossas implementações artísticas. Todos os que estiveram lá, na noite de sábado, para prestigiar a Cia Mário Nascimento, com Escapada, foram tocados pela força dos movimentos artísticos de dançarinos para lá de ajustados.

Uma mistura, em Escapada, da polivalência cultural brasileira e o revigoramento de uma tendência contemporânea dentro da própria apropriação artística. Se não, beliscando a antiguidade, onde a estética do belo, com Aristóteles e Platão, se expande, em nosso moderno com respostas afirmativas, Um evento assintomático, de força e de características forjadas no cotidiano.

O público porto-velhense que prestigiou Escapada mostrou-se extasiado com a performance de dançarinos que também se comportaram como músicos e atores. Certo é que a trilha percorrida no palco deixou uma sensação forte de apontamento para o melodrama. Indefinível e incorrigível, o espetáculo é, assim, por ele mesmo, uma denominaçãp “estranha”que compões com o visível, sonoro e sentimental. Apropriado para o movimento das combinações sensoriais, também festeja as inquietações humanas dentro de um cotidiano enclausurador. Homens com suas malas buscando lugares e retornando sempre para o mesmo ponto de partida. Pêndulos, chaves e mordaças segurando e sendo seguros pelos limites, possibilidades e padrões morais.

OUTROS PONTOS

E, ainda tem a música. Uma trilha sonora que compõe com o belo intangível. Ocupando os espaços que os homens deixam com seus vazios. Uma espécie de poesia em palco na performance dos atores. E, ainda tem o cômico. Por alguns instantes algumas pinceladas que provocaram boas gargalhadas. A assistente de direção e coreografia, Rosa Antuña, descreveu bem sobre a proposta destacando o potencial combinado dos próprios integrantes da Companhia. Para ela, neste ponto reside o diferencial que compactua com as sutilezas cômicas. Não se trata do acidental. E sim, improviso como janela para a interação, compartilhamento com o público presente.

Outros pontos relevantes, também construídos e ambientados para dar forma à temática assumida pelo espetáculo, povoaram bem distribuídos os momentos de clímax. O enredo, não determinado, também mostrou a oscilação entre alegria e tristeza das vidas que percorrem a rotina diária nas cidades grandes. Assim como descreve o próprio Mário Nascimento, diretor.

www.diariodaamazonia.com.br

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Entrevista com Mário Nascimento

ESTADO DE MINAS domingo, 22 de julho de 2012

REBELDE COM CAUSA - por Carolina Braga


Bailarino consagrado, Mário Nascimento trocou a efervescência de São Paulo pelo clima ameno de BH
Na maior parte do tempo Mário Nascimento é sério. O traje preto, o penteado no lugar contribuem para reforçar a sobriedade da figura. Mas, ao falar da paixão pelo trabalho, sorrisos esboçados surgem no rosto de traços fortes. Por trás da cara aparentemente fechada, há um artista inquieto e, curiosamente, de natureza rebelde. Fundador da companhia de dança que leva o próprio nome, há nove anos trocou a efervescência de São Paulo pelo clima – ameno e amigo – de Belo Horizonte. Não se arrepende. Afinal, por aqui não tem faltado o que ele mais gosta.

“Sou um workaholic. Sinto-me mal nas férias. Acho um saco. Gosto de estar na sala de aula, de produzir, de ver arte. Relaxo trabalhando, essa é que é a verdade”, assume. Quando fala de dança, a paixão de Mário Nascimento fica nítida. Ela se traduz até em números. Por exemplo, no contrato de patrocínio da Petrobras estavam previstas 30 apresentações no ano passado. O grupo fez 70.
Ao mesmo tempo em que percorre o Brasil no projeto Palco Giratório, do Sesc, ele e seus bailarinos ensaiam nova montagem de rua, batizada Parada 7. Ainda para 2012, está prevista Nômade, outra criação para teatro.
Natural de Cuiabá, aos 11 anos Mário Nascimento deixou a terra natal motivado por um fato trágico: o assassinato do pai, um bem-sucedido empresário da região. “Sou de uma família de sete filhos e com esse evento minha mãe achou melhor transferir toda a família para Campinas, onde estava parte da família”, conta. Até então, dança era uma coisa que nem de longe passava pela cabeça do menino.
“Não sei por que me interessei. Não tive influência, não tive indicação. Nada na minha família remetia a isso”, frisa. Mas um dia, andando pelas ruas de Campinas, passou na porta de uma escola de dança e, do nada, entrou para nunca mais sair. Tinha 16 anos. “A dança provavelmente veio para ajudar a me colocar”, diz. Claro que o interesse dele não foi recebido com tranquilidade pela tradicional família mato-grossense. Durante os seis primeiros meses, Mário Nascimento frequentou as aulas em segredo. Como aluno dedicado, foi praticamente adotado pela família da atriz e também bailarina Cláudia Raia, que, na época, mantinha uma escola de dança na cidade.
De Campinas, transferiu-se para São Paulo, onde se abriu a experiências de diversas naturezas. “Desliguei-me totalmente da família. Quis ir para o mundo. Era uma necessidade de me encontrar”, afirma. Nos primeiros anos, mantinha uma vida paralela na capital paulista. Se durante o dia se enfurnava nas salas de ensaio, à noite se jogava sem limites nas baladas. “Me envolvi com drogas, fui preso, vivia nos porões onde o rock rolava”, lembra.
Foi numa dessas noitadas que conheceu Lennie Dale, que havia acabado de deixar o Dzi Croquetes e juntamente com Joyce Kerman montou uma companhia de dança. Aos 19 anos, Mário Nascimento começava, então, a carreira profissional na dança. “Sou baixo e não sou um modelo de beleza. Então tinha que ser realmente muito bom”, reforça. A carreira de professor foi a primeira a dar frutos a Mário Nascimento. “Cheguei a ter 200 alunos, porque era muito intenso. Era um cara improvável justamente por não ser um modelo. Dava aula de botas, anéis. Me espelhava no Prince. Criei um personagem e era muito badalado”, diverte-se.
Cisne Negro
Mas foi a excelência técnica o diferencial para o crescimento da carreira. Seu rigor o colocou entre os três bailarinos selecionados pelo Balé da Cidade de São Paulo, no fim da década de 1980. “Fiquei oito meses e saí por rebeldia. Não gostava do modelo de direção, não concordava com aquilo e não aceitava. Pedi demissão uma semana antes de uma grande estreia”, conta. Depois do rompimento, decidiu passar uma temporada na Europa. Voltou a convite da diretora Hulda Bittencourt, que desejava compartilhar com ele o comando da Cisne Negro Cia. de Dança. “Aprendi o que era uma companhia”, destaca. Depois de dois anos, mais uma vez, era chegada a hora de traçar o caminho independente na dança.
Ainda que sempre rebelde, Mário Nascimento se define como “um cara disciplinador”. Reconhece a incoerência nessa postura, já que se diz um sujeito tão livre, mas garante que, sem essa característica, não teria conseguido desenvolver um talento específico: lidar com os bailarinos rebeldes, aqueles que mais têm a oferecer às criações artísticas.
A Companhia de Dança Mário Nascimento foi criada da parceria com o músico Fábio Cardia. Escapada (1997) marca o início do grupo, primeiro com sede em São Paulo. A mudança para Belo Horizonte se deu dois anos depois. “Sueli Machado, Cristina Machado e Tíndaro Silvano me influenciaram”, lembra. Foi entre as montanhas daqui que a companhia deixou de ser um duo (formado por ele e Fábio) e, pouco a pouco, se transformou no grupo de oito bailarinos que é hoje. “O grupo se fortaleceu e passou a ter uma cara”, reconhece.
Parte desse reconhecimento o coreógrafo atribui à forte presença da bailarina Rosa Antuña. “Ela trouxe coisas que eu não tinha. Trabalhava de forma muito viril e Rosa acrescentou o feminino. Comecei a estudar aquele corpo e de que forma poderia melhorar minha criação”, conta. Mas não é somente Rosa Antuña que recebe elogios do coreógrafo. “Sou intenso, gosto da proximidade com o elenco, gosto de almoçar, jantar, tomar café da manhã junto, interfiro na vida deles, faço uma direção muito próxima”, detalha.
O próprio Mário sabe que é um sujeito peculiar. Não tem muitos planos além de continuar criando. Mas, para isso, também tem claro que precisa da adesão de outros rebeldes. “É duro trabalhar com um cara que vive essa intensidade como eu. Me chamam de maluco. Sou um apaixonado pela dança”, resume.
Três perguntas para...
O que é dança contemporânea?

Acho que a arte contemporânea precisa de intensidade, pesquisa e estudo. Existe muito oportunismo. Como o leque é muito amplo, isso abre demais, então você vê muita coisa malfeita. Para mim, a dança contemporânea é tudo o que você aprendeu e tem a possibilidade de colocar em cena. Tive um estudo muito grande na dança, com balé classico, jazz, dança moderna e arte marcial. Logicamente, tudo isso influenciou o meu trabalho.
Existe um ideal de bailarino?

Não. Existe o bailarino adequado ao trabalho naquele momento. Hoje, meu grupo tem uma linguagem. Então tem bailarinos que topam trabalhar desse jeito e outros que vão embora. Existe disciplina, mas existe liberdade. Existe exigência muito forte, mas preciso que olhe nos meus olhos e que também tenha o espírito dos rebeldes.
Qual o principal motor para o desenvolvimento de uma linguagem na dança?

Leio muito, vejo muita coisa, mas existe a prática. A prática da dança é o trabalho diário, a repetição. Para forjar o meu movimento tive que estudar. Muito do meu trabalho vem de uma impossibilidade minha enquanto bailarino. Como não tinha o biotipo, tive que fazer o meu corpo ir para outros lugares. Com isso criei uma linguagem.
Principais trabalhos
» Escapada

» Trovador

» Escambo

» Do ritmo ao caos

» O rebento

» Faladores

» Escapada

» Território Nu

domingo, 18 de março de 2012

AGENDA PALCO GIRATÓRIO SESC 2012

E JÁ COMEÇOU NOSSA TOURNÉE COM O PALCO GIRATÓRIO DO SESC!
Confiram nossa programação completa com espetáculos, oficinas, palestras e encontros:

Léo Garcia e Mário Nascimento - Foto: Reyner Araujo

- 29 de março - FALADORES às 18:30hs + PENSAMENTO GIRATÓRIO às 19:30hs ( mediadora Milena Travassos) - O Trabalho da Oralidade na Dança - TEATRO SESC ESCOLA - Jacarepaguá, Rio de Janeiro, RJ
- 30 de março - oficina ARTE INTEGRADA com Rosa Antuña de 10:30hs às 16:30hs- SESC Jacarepaguá, Rio de Janeiro, RJ

- 31 de março e 1 de abril - ESCAPADA - Fortaleza - Teatro José de Alencar
- 2 de abril - FALADORES - Fortaleza - Teatro José de Alencar

- 4 de abril - oficina (manhã) com Mário Nascimento e ESCAPADA às 20:00hs - Teatro Santa Roza - João Pessoa
- 5 de abril - oficina (manhã) com Mário Nascimento e FALADORES às 20:00hs - Teatro Santa Roza - João Pessoa
- 7 de abril - INTERCÂMBIO com Marcos Brandão

- 9 de abril - ESCAPADA - Mossoró
- 10 de abril - oficina com Mário Nascimento - Mossoró

- 11 de abril - ESCAPADA - Caicó - Concha Acústica do SESC Seridó

- 12 e 13 de abril - ESCAPADA - Natal - Centro de Convenções e Complexo Cultural da Zona Norte

- 15 e 16 de abril - oficina Mário Nascimento (dança contemporânea)- Caruaru - SESC
- 17 de abril - ESCAPADA - Caruaru - Teatro Rui Limeira Rosal
- 18 de abril - FALADORES - Caruaru - Teatro Rui Limeira Rosal

- 20 de abril - ESCAPADA - Garanhuns

- 22 de abril - FALADORES - Triunfo

- 23 de abril - PENSAMENTO GIRATÓRIO - 17:00hs na Biblioteca do SESC Petrolina - Petrolina

- 24 de abril - ESCAPADA - 20:00hs - Centro de Cultura João Gilberto - Juazeiro
- 25 de abril - FALADORES - 19:00hs - Centro de Cultura João Gilberto
- 25 e 26 de abril - OFICINA - Mário Nascimento (dança contemporânea)10:00hs às 14:00hs - sala de dança do SESC Petrolina

- 30 de abril -OFICINA - Aracaju - com Mário Nascimento(Dança Contemporânea) - de 8:00hs às 10:30hs e de 10:30hs às 13:00hs - com Rosa Antuña (Arte-Integrada) - de 14:00hs às 17:00hs
- 1 de maio - ESCAPADA - Aracaju
- 2 de maio - APRESENTAÇÃO LOCAL
- 3 de maio - INTERCÂMBIO

- 5 de maio - ESCAPADA - Recife
- 6 de maio - FALADORES - Recife

- 8 de maio - APRESENTAÇÃO LOCAL e OFICINA - Vitória
- 9 de maio - PENSAMENTO GIRATÓRIO e OFICINA com Mário Nascimento - Vitória
- 10 de maio - ESCAPADA - Vitória
- 11 de maio - INTERCÂMBIO - Vitória

- 13 de maio - ESCAPADA - Rio de Janeiro
- 14 de maio - OFICINA  de Arte Integrada com Rosa Antuña de 10:00hs às 17:00hs - Rio de janeiro

- 16 de maio - ESCAPADA - Campo Grande

- 18 de maio - ESCAPADA - Dourados

- 20 de maio - ESCAPADA - Cuiabá

- 22 e 23 de maio - OFICINAS - Porto Alegre
- 24 de maio - FALADORES - Porto Alegre
- 25 de maio - ESCAPADA - Porto Alegre

*************************************************************************

- 4 de junho - ESCAPADA - São Luís do Maranhão
- 4 de junho - PENSAMENTO GIRATÓRIO
- 5 de junho - FALADORES - São Luís do Maranhão
- 6 de junho - Oficina de dança contemporânea com Mário Nascimento
- 7 de junho - Oficina de Arte-Integrada com Rosa Antuña

**************************************************************************

- 1 de agosto - ESCAPADA - Belo Horizonte - Sesc Palladium

- 4 de agosto - ESCAPADA - São Paulo
- 5 de agosto - ESCAPADA - São Paulo

- 7 de agosto - Oficina com Rosa Antuña e Mário Nascimento - Curitiba
- 8 de agosto - ESCAPADA - Curitiba

*********************************************************************

- 18 de agosto - Oficina de Dança Contemporânea com Mário Nascimento
- 19 de agosto - Oficina de Arte-Integrada com Rosa Antuña de 10:00hs às 13:00hs
- 21 de agosto - ESCAPADA - Maceió

*********************************************************************

- 11 de setembro - ESCAPADA - Teatro do SESC - 20:00hs - Boa Vista
- 12 de setembro - Oficina
- 13 de setembro - FALADORES - Praça - Boa Vista

- 15 de setembro - ESCAPADA - Teatro Um do SESC - 20:30hs - Porto Velho
 - 16 de setembro - FALADORES - Teatro Um do SESC - 20:30hs - Porto Velho

- 18 de setembro - Oficina de Dança Contemporânea com Mário Nascimento, de 10:00hs às 12:00hs - Oficina de Processo de Trabalho da Cia MN de 15:00hs às 17:30hs - Oficina de Arte-Integrada com Rosa Antuña de 19:00hs às 22:00hs SESC Arsenal - Cuiabá
- 19 de setembro - ESCAPADA - Teatro do SESC Arsenal - 20:00hs - Cuiabá
- 20 de setembro - FALADORES - Teatro do SESC Arsenal - 20:00hs - Cuiabá

- 22 de setembro - Oficina de dança contemporânea e processo de trabalho da CiaMN- de 18:00hs às 22:00hs - sala Multiuso do SESC Florianópolis
- 23 de setembro - INTERCÂMBIO
- 24 de setembro - Oficina de Arte-Integrada com Rosa Antuña - de 18:00hs às 22:00hs - sala Multiuso do SESC - Florianópolis
- 25 de setembro - ESCAPADA -  20:00hs - Teatro Centro Multiuso - Av BeiraMar de São José - Florianópolis

**********************************************************************

- 12 de novembro - ESCAPADA - SESC Pelourinho - Salvador
- 13 de novembro - Oficina ARTE-INTEGRADA com Rosa Antuña 14:00hs às 18:00hs
- 14 de novembro - INTERCÂMBIO com Cia Áttomos
- 15 de novembro - TERRITÓRIO NU - SESC Pelourinho
- 16 de novembro - Oficina ARTE-INTEGRADA de 14:00hs às 18:00hs - escola de dança da UFBA
- 17 de novembro - Pensamento Giratório + MULHER SELVAGEM (solo de Rosa Antuña) - SESC Pelourinho - Salvador

***********************************************************************

domingo, 11 de março de 2012

Sete Lagoas

Uma platéia linda foi a que tivemos em Sete Lagoas. Um público muito educado, participativo e receptivo! E como isso ajuda o trabalho dos artistas! Tudo fica mais fácil, orgânico... fluido! Obrigada Sete Lagoas pelo carinho e receptividade! Esperamos voltar em breve! Um grande
abraço da Cia MN!


leia mais em www.rosaantuna.blogspot.com

sexta-feira, 9 de março de 2012

Milton Santos

Exposição no CASARÃO - Centro Cultural Nhô Quim Drummond - Sete Lagoas





Professor Milton Santos

Milton Almeida dos Santos foi o maior geógrafo Brasileiro. Nasceu em 1926 e apesar de ter se graduado em Direito,destacou-se por seus trabalhos em diversas áreas da geografia, em especial nos estudos da urbanização do Terceiro Mundo. Foi um dos grandes nomes da renovação da geografia no Brasil ocorrida na década de 1970 e alcançou reconhecimento internacional.

Foi um dos mais famosos intelectuais negros brasileiros e sua notoriedade vem dos longos anos de conhecimento dos problemas urbanos que afetam as nações subdesenvolvidas nos dias atuais, sendo por isso, respeitado mundialmente. Sofreu perseguições políticas e exilou-se na França, onde pôde doutorar-se em Geografia. Autor de diversos trabalhos e livros acadêmicos, suas obras são editadas em diversos países. Em função de suas atividades políticas de esquerda, foi perseguido por seus adversários e pelos órgãos de repressão do Regime Militar.

* A pesquisa para a próxima criação de Mário Nascimento está sendo sobre nomadismo e a bibliografia usada é de Milton Santos.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Poesia ESCAPADA

ESCAPADA - por Rosa Antuña

No princípio amava as pessoas.
Pensava que tudo seria certo e justo.
Até que houve a primeira partida;
a segunda, a terceira...
Sempre tinha alguém escapando de mim.

Nunca gostei das despedidas,
embora tenham sido necessárias.
A dúvida me trazia um aperto
e a certeza me segurava o choro.
Só choro quando estou só.
De preferência no escuro.
É quando não me seguro

e grito.

Da minha sorte tinha uma certeza:
nasci pra ficar sozinho.
Sem amor e sem carinho,
apenas um copo na mesa.

No princípio amava as pessoas.
Não pensava que tudo seria incerto e injusto.
E cada escapada doía tanto
que fui deixando o amor de lado.
O amor foi ficando sem jeito
e o coração batendo calado no meu peito
foi construindo um muro
- bem duro -
de pedra e aço,
que arrebentava qualquer laço
ou tentativa de abraço.
Que não deixava ninguém entrar
e que não me deixava sair.

Foi quando parei de sentir
e fiquei assim, anestesiado.
Um homem vivo com o olhar parado.
Não sentia dor, não sentia amor.
Tentei escapar da vida.

Mas não consegui escapar de mim.



Rosa Antuña em Escapada - foto: Cláudio Etges

Poesia FALADORES

FALO POR TI - por Rosa Antuña

Se eu por tantas vezes te perdi
Num sinal de total abnegação
Não foi essa a minha intenção
Eu quero aquela que estava aqui.
Agora falo por mim e falo por ti.
Venha já pra me confortar direito
Quero de volta a palavra no meu peito
Libertando tudo o que estava trancado
E me diz o que foi que fiz de errado
Pra vocês me olharem desse jeito?

Agora falo por mim e falo por ti.

Venho tentando um discurso eloquente
E não importa se você não entende agora
Afinal são tantas línguas mundo afora
Pois vivemos na Babel inconsciente
Acreditando na mesma força onipresente
Chamada Deus, Jeová ou outro eleito
Presidente, governador, prefeito
Mestre, doutor ou bem letrado.
Qual palavra foi entendida errado
Pra vocês se olharem desse jeito?

Agora falo por mim e falo por ti.

Mário Nascimento, Rosa Antuña e José Villaça

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

workshops e palestras 2012

- 22 e 23 de maio - oficina - Porto Alegre - PALCO GIRATÓRIO

- 14 de maio - oficina - Rio de Janeiro - PALCO GIRATÓRIO

- 8 e 9 de maio - oficina - Vitória - PALCO GIRATÓRIO
- 9 de maio - PENSAMENTO GIRATÓRIO - Vitória - PALCO GIRATÓRIO

- 30 de abril - oficina - Aracaju -PALCO GIRATÓRIO

- 25 e 26 de abril - oficina - de 9:00hs às 13:00hs na Sala de Dança do SESC Petrolina - Petrolina - PALCO GIRATÓRIO

- 15 e 16 de abril - oficina - Caruaru - PALCO GIRATÓRIO

- 10 de abril - oficina - Mossoró - PALCO GIRATÓRIO

- 4 e 5 de abril - oficina com Mário Nascimento - João Pessoa - PALCO GIRATÓRIO

- 30 de março - oficina de ARTE INTEGRADA com Rosa Antuña - de 10:30hs às 17:30hs SESC Jacarepaguá, RJ - PALCO GIRATÓRIO

- 29 de março - palestra com Mário nascimento - A ORALIDADE NA DANÇA (mediadora Júlia Studart) - SESC Jacarepaguá, RJ - PENSAMENTO GIRATÓRIO


- 10 de março - workshop de dança contemporânea com Mário Nascimento em Sete Lagoas - 9:00hs às 12:00hs

- fevereiro - Mário Nascimento em Curitiba MBA :

- janeiro - workshop com Mário Nascimento na Corpo Escola de Dança, em Belo Horizonte, MG.

AGENDA 2012 - espetáculos

FALADORES - estréia 2008


foto: Sílvia Machado

- PALCO GIRATÓRIO - 13 de novembro - Salvador, BA

- PALCO GIRATÓRIO - 20 de setembro - Cuiabá, MT

- PALCO GIRATÓRIO - 13 de setembro - Boa Vista

* 24 e 25 de agosto - Manaus, AM

* 11 e 12 de agosto - Brasília, DF

-PALCO GIRATÓRIO - 24 de maio - Porto Alegre

- PALCO GIRATÓRIO - 6 de maio - Recife

- PALCO GIRATÓRIO - 27 de abril - 20:00hs Palco do SESC de Petrolina - Petrolina

- PALCO GIRATÓRIO - 22 abril - Triunfo

- PALCO GIRATÓRIO - 18 de abril - Caruaru

- PALCO GIRATÓRIO - 5 de abril - Teatro Santa Rosa - João Pessoa

- PALCO GIRATÓRIO - 2 de abril - Theatro josé de Alencar - Fortaleza

- PALCO GIRATÓRIO - 29 de março - Teatro do SESC Escola de Jacarepaguá, RJ

* 16 e 17 de março - Mariana, MG - dia 16 para instituições de caridade e escolas da cidade e dia 17 aberto para o público - TEATRO SESI MARIANA às 20:00hs - ingressos 5,00 reais inteira e 2,50 meia

*  9 e 10 de março - Sete Lagoas, Mg - Casarão - Centro Cultural Nhô Quim Drummond - 20:00hs




ESCAPADA - estréia 2010

foto: Carlos Antolini

- PALCO GIRATÓRIO - 12 de novembro - Salvador

- PALCO GIRATÓRIO - 25 de setembro - Florianópolis

- PALCO GIRATÓRIO - 19 de setembro - Cuiabá

- PALCO GIRATÓRIO - 15 de setembro - Porto Velho

- PALCO GIRATÓRIO - 11 de setembro - Boa Vista

- PALCO GIRATÓRIO - 17 de agosto - Maceió

- PALCO GIRATÓRIO - 8 de agosto - Curitiba

- PALCO GIRATÓRIO - 4 e 5 de agosto - São Paulo

- PALCO GIRATÓRIO - 1 de agosto - Belo Horizonte

* 29 de junho - Viçosa, MG

- PALCO GIRATÓRIO - 25 de maio - Porto Alegre

- PALCO GIRATÓRIO - 20 de maio - Cuiabá

- PALCO GIRATÓRIO - 18 de maio - Dourados

- PALCO GIRATÓRIO - 16 de maio - Campo Grande

- PALCO GIRATÓRIO - 13 de maio - Rio de Janeiro

- PALCO GIRATÓRIO - 10 de maio - Vitória

- PALCO GIRATÓRIO - 5 de maio - Recife

- PALCO GIRATÓRIO - 1 de maio - Aracaju

- PALCO GIRATÓRIO - 24 de abril - 20:00hs - Centro de Cultura João Gilberto - Juazeiro

- PALCO GIRATÓRIO - 20 de abril - Garanhuns

- PALCO GIRATÓRIO - 17 de abril - Caruaru

- PALCO GIRATÓRIO - 11, 12 e 13 de abril - Natal

- PALCO GIRATÓRIO - 9 de abril - Mossoró

- PALCO GIRATÓRIO - 4 de abril - Teatro Santa Rosa - 20:00hs - João Pessoa

- PALCO GIRATÓRIO - 31 de março e 1 de abril - Theatro José de Alencar - Fortaleza




TERRITÓRIO NU -estréia 2011

 foto Cuia Magalhães

- 20, 21 e 22 de janeiro - TERRITÓRIO NU - em Belo Horizonte, MG - Teatro Oi Futuro Klauss Vianna, sex e sab 21:00hs e dom 19:00hs - Verão Arte Contemporânea



PARADA 7 - estréia 2012 : 10 de julho, no Horizontes Urbanos


foto Ed Felix - NA LATA


















* 10, 11 e 12 de julho ESTRÉIA - HORIZONTES URBANOS - Belo Horizonte, MG

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Território Nu - crítica de Miguel Anunciação

Jornal Hoje em Dia - Belo Horizonte, 24 de janeiro de 2012

"Território Nu" é outro acerto admirável

Miguel Anunciação - mfernando@hojeemdia.com.br


Mais recente criação da Cia Mário Nascimento, "Território Nu" estreou no final de outubro passado , abrindo a 15a edição do Fórum Internacional de Dança, que lhe destinou recursos de produção. Além de uma honra, abriro FID é oportunidade rara à produção local, uma distinção jamais ocorrida antes.

De volta só agora, e novamente no palco do Oi Futuro/ Teatro Klauss Vianna, pela programação da 6a edição do Verão Arte Contemporânea, o espetáculo reafirma as razões do destaque obtido no FID, pois consegue estar à altura de "Faladores", provavelmente a criação mais respeitada da Cia, e acima de "Escapada", embora "Escapada" também seja bastante defensável.

"Território Nu"é um acerto admirável. Desde a trilha sonora impecável de Fábio Cardia, que proporciona uma porção de nuances rítmicas, de gêneros musicais variados. Uma aposta muito provável aos prêmios da categoria. Os figurinos acompanham a atmosfera urbana e contemporânea da coreografia, talvez composta em coletivo.

E se a iluminação não contribui mais, por evitar cores e desenhos menos sóbrios, o elenco reconfirma o nível excelente. Exibe domínio absoluto dos movimentos, boa parte deles no solo, tão atléticos e atrevidos quanto empolgantes. Um grupo de talento homogêneo, mesmo que Rafael Bittar tenha se despedido na sessão de domingo, para ir se juntar ao Grupo Corpo.

Como ocorria em "Faladores", Rosa Antuña assume um papel específico: além de dançar, canta e balbucia um idioma inventado - como um ser falador. A quem é dado um lugar diferenciado, à altura das experimentações e ressonâncias que permite aos seus, digamos assim, canais de expressão. Mais que bailarina, uma artista em plenitude.

Como diretor, Mário Nascimento acerta de novo ao propor algo que ultrapassa expectativas, entre um espetáculo e um organismo. Algo vivo, radiante, que se aproxima do expontâneo, do improviso, mas sem abdicar da riqueza do que foi preparado de antemão. Tão sintonizado com a vida, com o trânsito feérico dos tempos atuais que seduz espectadores de qualquer idade. Embora não se atreva a ser ainda mais erótico, o que talvez só lhe faria muito bem.





foto de Cuia Magalhães