Próximas Apresentações e Cursos

PRÓXIMAS APRESENTAÇÕES e CURSOS

BELO HORIZONTE, MG:
- de 23 a 26 de julho de 18:30hs às 20:30hs - dança contemporânea com Mário Nascimento - Studio It (rua Alumínio, 22, Praça Milton Campos - info: (31) 3327-3503 ou 3267-3823

BONITO, MS:
- 29 de julho: "Dança de Brinquedo" - Festival de Inverno de Bonito MS

BELO HORIZONTE, MG:
- 3, 4 e 5 de agosto: "Garrafa Enforcada" (sexta às 20:00),"Território Nu" (sábado às 20:00hs) e "Dança de Brinquedo" (domingo às 16:00hs) - Teatro Marília

BRASÍLIA, DF:
- setembro - "Zhu" e "Garrafa Enforcada"

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Release - Escapada e Faladores

ESCAPADA
foto: Marco Aurélio Prates - na foto: José Villaça

Em 1998 a Cia. MN estreou o espetáculo “ESCAPADA” com participação de Mário Nascimento e do músico Fábio Cardia. A obra deu a Nascimento o prêmio APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte - 1998) de melhor coreógrafo. A dupla seguiu em turnê pela Alemanha, fazendo 13 apresentações em Hamburgo no Teatro B 12, na Bienal de Essen e em Colônia no Teatro Zeigen Tanztheater obtendo críticas favoráveis em importantes jornais como Morgen Post e Bergedorfer Zeitung.

Hoje, a proposta é revisitar o universo de ESCAPADA através de uma nova concepção coreográfica. Mário Nascimento e Fábio Cardia partem de algumas idéias cênicas e musicais do espetáculo original ampliando as fronteiras e aprofundando a pesquisa. Desta vez a montagem conta com todo o elenco da Cia.MN, oito bailarinos em cena.
ESCAPADA é a fuga do homem das grandes metrópoles, das massas humanas. É o homem sufocado fisicamente e psicologicamente. É o homem sem saída a procura do lugar, do espaço. É fugir de si mesmo e dos seus fantasmas, da opressão do mundo moderno, da tecnologia e da falta de tempo.
ESCAPADA é o Carona que não sabe para onde vai. É a visão e a perspectiva de personagens que se apresentam constantemente em fuga.
Utilizando as possibilidades técnicas de um elenco que trabalha junto há três anos, a Cia. leva para cena dança, música e teatro, além de momentos de pura improvisação.
A trilha sonora é composta pelo músico Fábio Cardia que utiliza as possibilidades instrumentistas dos bailarinos: percussão, violão e vozes.
Criação coreográfica de Mário Nascimento com o elenco.
Textos e efeitos vocais são criados por Rosa Antuña. Cenário composto por estruturas que possibilitam um trânsito diversificado dos artistas na cena.



FALADORES





A Cia Mário Nascimento, em 2008, com patrocínio da Petrobras através do Programa Petrobras Cultural (PPC 2006/2007) e da Lei de Incentivo à Cultura do Governo Federal, estreou seu novo espetáculo: “FALADORES”, com direção e coreografia de Mário Nascimento, trilha sonora de Fábio Cardia e assistência de direção e de coreografia de Rosa Antuña. O espetáculo tem a classificação livre e a duração de 50min.
Em “FALADORES“ o grupo pesquisou uma “linguagem” própria de comunicação com códigos sonoros e criação de palavras – Eh momoá! A xi a ché! – num dialeto inventado, o “momoês”, que transita pelo espetáculo assim como o Português, Alemão, Inglês, Espanhol e Francês.
O trabalho tanto em sua concepção quanto em sua construção, buscou fundamentos teóricos e conceituais em autores como Paul Zumthor (“Performance, Recepção e Leitura”) e Yoshi Oida (“O Ator Invisível”). O espetáculo, inclusive, registra um pequeno trecho do capítulo 4 – A FALA – do livro de Oida.
Em cena, oito artistas influenciados pela dança , música e teatro, buscam dialogar entre si e com o público, utilizando a arte como seu meio de comunicação.
“FALADORES” aborda o tema oralidade, trazendo para a cena diversas formas de comunicação através do som, da música, da palavra, poesia, dança, ação e movimento. A necessidade do homem em se expressar e, apesar das barreiras, se fazer entender. A arte como seu principal objetivo: comunicar.
“FALADORES” é movimento, gesto, palavra e ritual. A oralidade como performance e a performance como definição de comunicação, dando ênfase à natureza da linguagem oral e gestual. O gesto e a palavra como sensações humanas e forma eficaz de comunicação poética e dramática.

“Aprendi o silêncio com os faladores.” - khalil Gibran

*Neste espetáculo a Cia MN veste Elvira Matilde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário